segunda-feira, 21 de abril de 2008

Os juros e a alta dos preços dos alimentos

Há pouco tempo, foi divulgada a extinção da dívida externa, que, na realidade, não ocorreu. O que houve foi a formação de um montante de reservas superior a ela, que também é positivo.Por outro lado, não foi dado o mesmo destaque publicitário ao crescimentoda dívida mobiliária federal, na ordem de R$ 132 bilhões, no ano passado, representando 12% sobre o ano anterior, num incremento real superior a 7%. A causa disso está na alta taxa de juros, que aumenta o endividamento público de duas formas: pelo montante da despesa com juros que se agrega à dívida e pela atração de capitais especulativos externos.
O que comprova isso é o fato de o valor agregado à dívida por juros não pagos em 2007 ter sido em torno de R$ 60 bilhões e o crescimento de seu estoque, mais que o dobro desse valor, conforme acima. Sabe-se agora que há intenção governamental de aumentar a taxa de juros para segurar a inflação, que começou a dar sinal de sua presença.
A taxa dejuros tem sido um instrumento eficiente nesse sentido. Atualmente, entretanto, o que está provocando inflação é a alta dos preços dos alimentos, que sobem num ritmo muito superior à variação geral dos preços.E alta dos preços dos alimentos, segundo as mais variadas fontes, temdiversas causas, muitas delas externas, que não serão combatidas com aumento dos juros no Brasil. Estão contribuindo para alta dos alimentos o desequilíbrio entre demanda eoferta provocado pelo crescimento econômico mundial, que está colocando nomercado de consumo quem antes dele não participava, com destaque paragrandes contingentes da China, Índia, diversos países da América Latina,inclusive o Brasil.
O aumento do preço do petróleo e dos fertilizantes também estão contribuindo para isso, não excluindo as intempéries da natureza, sempre presentes nessas situações. Outra causa desse fenômeno está na produção do etanol em escala mundial, para o que estão sendo destinadas grandes áreas agriculturáveis antes destinadas à produção de alimentos para consumo pessoal e animal.
Por essa razão o milho dobrou de preço nos Estados Unidos, assim como foi reduzida a área de plantio da soja lá. Isso provoca redução nos estoques de alimentos em todos os países, inclusive no Brasil, que é um grande exportador, com reflexos nos preços. Por isso, um aumento da taxa de juros só vai aumentar a dívida pública.

Publicado no JC 18/04/2008

Nenhum comentário: